O Internacional em Debate #5: Os desafios e oportunidades na Relação Brasil-Ásia

O Internacional em Debate #5: Os desafios e oportunidades na Relação Brasil-Ásia

Minhas caras e meus caros,

Nos últimos anos, pudemos observar uma movimentação expressiva no sistema internacional, semelhante àquela ocorrida no início do século XX, que transferiu o eixo de poder da Europa para a América do Norte: a região da Ásia‑Pacífico emergiu como um ponto da economia mundial com influência política ascendente, até mesmo nos órgãos de decisão multilaterais. Essa parte do mundo, que já possui uma grandiosidade física em termos de território e população – maior número de habitantes do mundo, com média de 4,436 bilhões de pessoas –, tem apresentado taxas crescentes no que se refere a Produto Interno Bruto (PIB), fluxos de comércio mundial, investimentos significativos em setores de infraestrutura e de defesa, entre outras áreas. Ademais, houve um notável fortalecimento dos mecanismos de integração regionais e interregionais do continente asiático, com destaque para concertações como a Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), o Banco Asiático de Desenvolvimento (ADB) e o mais recente projeto One Belt and One Road (OBOR) – também conhecido como “Nova Rota da Seda.

Diante desse novo cenário, as relações do Brasil com o continente asiático também cresceram expressivamente, sobretudo a partir do início do século XXI. As interações bilaterais com as nações da Ásia cresceram em densidade e complexidade, de forma que a região se tornou um dos principais parceiros comerciais do país. Além disso, houve uma ampliação do contato em outras dinâmicas, como nos programas de cooperação técnica, nas atividades culturais, no intercâmbio de turistas e no número de brasileiros residentes na Ásia. Em face disso, é muito importante que os agentes e formuladores de política externa brasileira se mantenham preparados para o relacionamento e a promoção os interesses nacionais nesse contexto.

capa_brasil_asia-500x500-jpeg-2Foi com esse pensamento que o diplomata licenciado Pedro Henrique Batista Barbosa procurou incentivar as reflexões sobre as mudanças do cenário mundial a partir da ascensão da região da Ásia‑Pacífico e organizou o livro “Os desafios e oportunidades na Relação Brasil-Ásia na perspectiva de Jovens Diplomatas”, recém-publicado pela Fundação Alexandra de Gusmão (Funag). A obra é uma iniciativa inédita composta por artigos de jovens diplomatas, que possuem experiência com os países abordados, seja trabalhando com as nações asiáticas na Secretaria de Estado, em Brasília, ou nos inúmeros postos avançados (embaixadas e consulados) alocados nos países da Ásia.

O livro, que está disponível para download gratuito na página da Fundação Alexandre de Gusmão (Funag), está dividido em catorze capítulos que abordam as relações com os principais parceiros do Brasil no continente e apresentam reflexões sobre a necessária dinamização das relações com alguns dos países da região, com grande enfoque nas questões econômicas e comerciais. Além disso, os autores falam sobre as comunidades brasileiras na Ásia, as possibilidades de cooperação e a difusão de nossa cultura, como também tratam da política internacional ampla, ressaltando o papel do Brasil em questões mais complexas e as oportunidades para o país em fóruns internacionais. Nas palavras do Embaixador Sérgio Eduardo Moreira Lima, atual presidente da Funag, “não se trata somente de um exercício acadêmico, mas de um esforço singular de reflexão de profissionais a respeito da formulação e da execução da política externa para com a região mais dinâmica do planeta, e também a mais distante geograficamente”.

Para ampliar as discussões acerca desse riquíssimo tema, na quinta edição de “O Internacional em Debate”, convidamos o organizador da obra e os professores João Daniel, Maurício Santoro e Tanguy Baghdadi para apresentarem suas reflexões a partir das análises trazidas pelo livro a respeito da grande política internacional e da política externa brasileira para a região da Ásia-Pacífico. Assistam a seguir, pupilos! 🙂

Related Posts
Deixe um comentário
What is the capital of Egypt ?