Press "Enter" to skip to content

CLIO NEWS – Semana de 25 de junho a 1º de julho

0

Está no ar a nova edição do Clio News!

Uma seleção especial das notícias relevantes da diplomacia brasileira e do cenário internacional nesta semana.

Confira a seguir e fique em dia com as atualidades do Brasil e do mundo – e aproveite para incrementar seus estudos!

 

Lançamento do Observatório da Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (OCID)

“Foi lançado o Observatório de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (OCID), plataforma eletrônica que reunirá informações diversas relativas à prática da cooperação internacional para o desenvolvimento. O OCID é resultado de parceria entre a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) do Itamaraty e o IBICT, unidade de pesquisa vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), e conta com apoio da Fundação Alexandre de Gusmão (Funag). O objetivo da plataforma é oferecer a agentes públicos e privados, à academia e à sociedade em geral acesso a dados, eventos, bibliografia e estatísticas relativos à cooperação internacional para o desenvolvimento.”

Veja o informativo em: https://twitter.com/ItamaratyGovBr/status/1541907062782918659

Brasil-Argentina: Acordo de Reconhecimento Mútuo de Homologações Veiculares

“Brasil e Argentina concluíram, neste mês, a negociação de um Acordo de Reconhecimento Mútuo (ARM) de Homologações Veiculares, que será assinado em julho por autoridades dos dois países. O Acordo promove a facilitação do comércio bilateral de veículos entre Brasil e Argentina e reduz custos e prazos. O reconhecimento mútuo de homologações veiculares favorece o desenvolvimento do setor automotivo nos dois países e o incremento dos fluxos de comércio, além de conferir mais previsibilidade e segurança jurídica para os investimentos. (…) A conclusão das negociações reforça o interesse de Brasil e Argentina de aprofundar a integração produtiva da indústria automotiva regional e de melhorar os níveis de competividade, qualidade e segurança veicular.

O Acordo vai ao encontro dos interesses dos setores produtivos dos dois países, que já destacaram em outras oportunidades os benefícios de uma aproximação ainda maior entre Brasil e Argentina, destacando-se a criação de oportunidade para ganhos de competitividade e a otimização de custos e investimento, num setor que possui uma participação significativa no comércio bilateral.”

Veja a nota oficial em: https://www.gov.br/mre/pt-br/canais_atendimento/imprensa/notas-a-imprensa/nota-conjunta-do-ministerio-das-relacoes-exteriores-do-ministerio-da-economia-e-do-ministerio-da-infraestrutura-acordo-de-reconhecimento-mutuo-de-homologacoes-veiculares-brasil-argentina

8ª Reunião Plenária do Processo de Quito

“O Ministério das Relações Exteriores sediou, em 30/6 e 1º/7, a 8ª Reunião Plenária do Processo de Quito, mecanismo de coordenação entre países da América Latina e Caribe, lançado para fazer frente à crise de refugiados e migrantes venezuelanos. O Brasil ocupa, desde junho de 2021, a Presidência Pro Tempore do mecanismo. Mais de 40 delegações, entre países da região, observadores, agências das Nações Unidas e outras instituições debateram desafios e soluções para a assistência humanitária a migrantes e refugiados venezuelanos. Na sessão de abertura, o Brasil ressaltou a importância da troca de experiências e boas práticas, o que tem conformado a América Latina e o Caribe como um espaço de proteção e solidariedade. A reunião culminou na assinatura de declaração conjunta, que está disponível em <https://www.procesodequito.org/pr>.

Desde 2018, quando foi lançado o Processo de Quito, mais de 6 milhões de cidadãos venezuelanos deixaram seu país em busca de melhores condições de vida. Cerca de 5,1 milhões permanecem nos países da região, dentre os quais 345 mil, no Brasil.”

Veja a nota oficial em: https://www.gov.br/mre/pt-br/canais_atendimento/imprensa/notas-a-imprensa/processo-de-quito

Brasil na ONU: Presidência brasileira do Conselho de Segurança das Nações Unidas

“O Brasil preside, durante o mês de julho, o Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU). A presidência é rotativa entre os países membros do principal órgão multilateral responsável pela paz e segurança internacionais. Durante o biênio 2022-2023, o País está exercendo seu 11º mandato eletivo. Sob a presidência do Brasil, o CSNU examinará a situação de segurança na Ucrânia, Síria, África Ocidental e região do Sahel, Colômbia, Líbano, Sudão, Oriente Médio, Haiti, Iêmen, Chipre, Líbia e Ásia Central. Está, também, prevista a adoção de resoluções sobre as missões da ONU no Haiti, Iêmen, Chipre e Líbia, e sobre regimes de sanções em vigor para Líbia e República Centro-Africana. A preocupação com o respeito ao Direito Internacional Humanitário, com a proteção de civis e com o acesso à assistência humanitária estará presente na atuação brasileira em todos os itens da agenda. O Brasil levará ao Conselho um apelo à unidade em torno de ações humanitárias, que visam a salvar vidas e não devem ser objeto de politização.

A Agenda de Mulheres, Paz e Segurança do CSNU também receberá atenção, inclusive por meio de maior participação de mulheres nas reuniões previstas. O Brasil continuará defendendo a ampliação da participação feminina nos processos de paz e nas operações da ONU.”

Veja a nota oficial em: https://www.gov.br/mre/pt-br/canais_atendimento/imprensa/notas-a-imprensa/presidencia-brasileira-do-conselho-de-seguranca-das-nacoes-unidas

ONU se mostra incapaz de tomar decisões na Guerra da Ucrânia

* Artigo do Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Carlos França

“No mês de julho, o Brasil exercerá novamente a presidência do Conselho de Segurança, como fez inúmeras vezes, em seus 11 mandatos no órgão, ao longo dos 75 anos de existência da ONU. Os desafios à paz e à segurança internacional continuam significativos, e atualmente voltam a se acirrar as divergências no Conselho, como o foram durante os longos anos de Guerra Fria. O conflito na Ucrânia potencializou os embates no Conselho e vem gerando, além do grande sofrimento humano, fortes distúrbios sistêmicos, que afetam a segurança energética e alimentar de todo o mundo. O órgão tem se revelado incapaz de tomar decisões a respeito da situação na Ucrânia —mesmo sobre questões que deveriam unir todos os membros, como a garantia de acesso para a assistência humanitária e a proteção de civis.

Diante dessas tensões geopolíticas, a diplomacia brasileira buscará, durante sua presidência do Conselho de Segurança, abrir espaços de diálogo entre os membros com vistas a favorecer a construção de soluções para os desafios à paz e à segurança internacional constantes da agenda do órgão naquele mês.”

Leia o artigo completo em: https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2022/06/onu-se-mostra-incapaz-de-tomar-decisoes-na-guerra-da-ucrania.shtml

 

Como China e Índia têm ajudado Rússia a driblar sanções comprando petróleo barato

“A Rússia encontrou na Ásia novos clientes para sua poderosa indústria de petróleo e gás. E, graças a eles, tem sido capaz de mitigar os efeitos das fortes sanções econômicas impostas aos produtos russos pela Europa Ocidental e pelos Estados Unidos. Após invadir a Ucrânia, a Rússia ultrapassou a Arábia Saudita e se tornou o principal fornecedor de petróleo para a China. A Rússia teria oferecido descontos à China em seus preços de petróleo e gás, o que abriu à Rússia um enorme mercado até então não explorado e capaz de compensar, ao menos em parte, as perdas pelo bloqueio nas vendas após as sanções econômicas. A Rússia também se voltou para a Índia: antes da invasão da Ucrânia, apenas 1% das suas exportações de petróleo eram destinadas ao país. Em maio de 2022, elas correspondiam a 18%. China, Rússia e Índia compõem, junto com Brasil e África do Sul, o bloco geopolítico dos Brics. E, apesar de décadas de desavenças, a aproximação recente entre Rússia, China e Índia traz não apenas ganhos financeiros para todos, mas também reforçam suas posições internacionais na disputa com o bloco antagônico, liderado pelos Estados Unidos.”

Veja a notícia completa em: https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2022/06/como-china-e-india-tem-ajudado-russia-a-driblar-sancoes-comprando-petroleo-barato.shtml 

Cúpula do G7 começa com anúncio de sanção à importação de ouro da Rússia e protestos

“A reunião da cúpula do G7, grupo formado pelas maiores economias do mundo, começou neste domingo (26) com anúncio de que os países pretendem banir a importação de ouro da Rússia e protestos em favor do clima. Também foi anunciado um investimento de US$ 600 bilhões em infraestrutura em países em desenvolvimento. A nova sanção foi comunicada durante a abertura da cúpula, evento realizado no Castelo de Elmau, na Alemanha, com edição dedicada à guerra da Ucrânia. A proposta contra o ouro russo partiu dos Estados Unidos, que tem coordenado formas de impor custos econômicos à Rússia para diminuir o financiamento da guerra. No entanto, nações da União Europeia dizem que precisam analisar com mais cautela a proposta. A Rússia é um grande produtor de ouro, cujas exportações representaram cerca de US$ 15,5 bilhões (R$ 81,1 bilhões) em 2021, segundo Downing Street. Proibir o produto pode ter um grande impacto na capacidade de Putin de arrecadar fundos.”

Veja a notícia completa em: https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2022/06/cupula-do-g7-abre-com-anuncio-de-sancoes-a-importacao-de-ouro-russo.shtml 

G7 promete apoiar Ucrânia em guerra contra Rússia ‘pelo tempo que for preciso’

“Reunidos na Alemanha, os líderes do G7, o grupo das maiores economias do mundo, divulgaram nesta segunda-feira (27) uma declaração reiterando o apoio à Ucrânia. “[O G7] continuará a fornecer apoio financeiro, humanitário, militar e diplomático e permanecerá ao lado da Ucrânia pelo tempo que for preciso”, diz um trecho do documento. Os chefes de EUA, Alemanha, França, Itália, Canadá, Reino Unido e Japão, além dos líderes da União Europeia, reforçaram as críticas à Rússia, que dizem ser responsável pela insegurança alimentar global e por escalar o “uso injustificável” de uma retórica nuclear. Também se comprometem a simplificar as leis de imigração para refugiados do conflito e a estruturar iniciativas coordenadas para combater a fome, bem como para punir criminosos de guerra. O presidente ucraniano, Volodimir Zelenski, fez uma participação virtual na reunião, sediada no estado alemão da Baviera. Ele pediu aos líderes que fizessem o máximo para encerrar o conflito antes do final deste ano.” 

Veja a notícia em: https://aovivo.folha.uol.com.br/mundo/2022/03/31/6113-acompanhe-as-principais-noticias-sobre-a-guerra-da-ucrania.shtml#post417477 

Argentina e Irã querem ingressar no grupo dos Brics, do qual o Brasil faz parte

“O grupo dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) poderá receber dois novos integrantes: o Irã e a Argentina. O Irã protocolou uma candidatura para se tornar membro do grupo de economias emergentes, de acordo com um dirigente de governo iraniano. O porta-voz do Ministério de Relações Internacionais do Irã afirmou nesta segunda-feira (27) que a entrada do país no grupo resultaria um ganho para ambos os locais. Segundo a porta-voz do Ministério de Relações Internacionais da Rússia, a Argentina também se candidatou, mas ainda não há confirmação dos argentinos de que houve um pedido formal de entrada nos Brics. O presidente Alberto Fernandez, no entanto, já afirmou que gostaria de ingressar no grupo. A Rússia tem tentado criar laços com países da Ásia, América do Sul e Oriente Médio para resistir às sanções impostas pela Europa, Estados Unidos e outros países por sua invasão à Ucrânia.”

Veja a notícia completa em: https://g1.globo.com/mundo/noticia/2022/06/27/argentina-e-ira-querem-ingressar-no-grupo-dos-brics-do-qual-o-brasil-faz-parte.ghtml 

Fórum Urbano Mundial busca compromisso para reconstrução de cidades

“O Fórum Urbano Mundial, evento bianual convocado pelo Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos, ONU-Habitat, começou neste domingo em Katowice, na Polônia. Segundo a agência, este é um momento crítico para o desenvolvimento urbano e a reunião levará um apelo para que os participantes dobrem os esforços para enfrentar os desafios apresentados às cidades por conflitos, pandemia e emergência climática. (…) O ONU-Habitat estima que a população global vivendo em áreas urbanas deve aumentar de 56% para 68% até 2050, principalmente na África e no Oriente Médio. Para a subsecretária-geral da ONU e diretora executiva da agência Maimunah Mohd Sharif, embora a realidade atual seja muito desafiadora, “devemos manter nosso foco e dobrar nossos esforços no desenvolvimento sustentável”. Ela acredita que “um futuro melhor continua sendo possível” e que já existem roteiros para chegar lá, como os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, Nova Agenda Urbana e o Acordo de Paris sobre Mudanças Climáticas.”

Veja a notícia completa em: https://news.un.org/pt/story/2022/06/1793772 

Brasil defende acordo internacional para reduzir poluição plástica

“O Brasil discursou na Conferência dos Oceanos das Nações Unidas durante a tarde de terça-feira, em Lisboa, com o Ministro do Meio Ambiente defendendo a criação de dois acordos internacionais em prol da vida marinha. Na Altice Arena, que abriga o evento, Joaquim Leite, falou sobre a importância de um tratado global para reduzir a poluição causada por plásticos, tema que tem ganhado destaque na conferência em Portugal. “Um acordo juridicamente vinculante sobre a conservação e o uso sustentável da biodiversidade marinha em áreas além da jurisdição nacional. E um instrumento global para reduzir a poluição plástica, inclusive no ambiente marinho. O lixo no mar, especialmente o plástico, é um grave problema ambiental que a comunidade internacional finalmente começou a reconhecer e a estabelecer mecanismos para enfrentá-lo de forma coordenada.” O ministro do Meio Ambiente lembrou que o país “tem uma área marinha de 5,7 milhões km2, sendo que 27% da área é protegida”.”

Veja a notícia completa em: https://news.un.org/pt/story/2022/06/1793992

Otan se prepara para guerra com a Rússia e vê China como ameaça

“Em 2010, quando aprovou seu mais recente documento de doutrina, a Otan habitava um mundo em que fazia papel de coadjuvante no Afeganistão, a China era um país distante, e a Rússia, descrita como uma parceira estratégica. Nesta quarta (29), 12 anos depois, a aliança militar liderada pelos EUA anunciou sua refundação, cortesia da Guerra da Ucrânia, entronizou a China como uma ameaça potencial e se prepara para um período de expansão contra Moscou ancorada em ações americanas e na entrada de Suécia e Finlândia no clube. ​O novo Conceito Estratégico da Otan volta à fundação do grupo para encontrar sua razão de ser: combater Moscou com dissuasão militar. Os russos querem “estabelecer esferas de influência e controle direto por coerção, subversão, agressão e anexação”, diz o texto, que ecoa os temores de uma Terceira Guerra. Aos integrantes da Otan, reunidos em Madri, o presidente Volodimir Zelenski voltou a pedir mais armas, particularmente artilharia.”

Veja a notícia completa em: https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2022/06/otan-se-prepara-para-guerra-com-a-russia-e-ve-china-como-ameaca.shtml

ONU pede acesso humanitário urgente na Ucrânia

“A coordenadora humanitária da ONU na Ucrânia, Osnat Lubrani, falou sobre a situação no país nos últimos quatro meses, desde o início dos ataques da Rússia, em 24 de fevereiro. Lubrani afirmou que “o nível de sofrimento humano não pode ser explicado com palavras” e que as partes do conflito precisam fazer mais “para proteger os civis e tornar o trabalho possível”. Atualmente, quase 16 milhões de pessoas na Ucrânia precisam de água potável, comida, serviços de saúde, moradia e proteção. Segundo ela, os números estão subestimados, por isso a ONU e seus parceiros estão revisando a situação. Em alguns lugares, a insegurança e outros obstáculos impostos impedem a ONU e ONGs de atuarem. Ela citou a falta de acesso a Kherson e Mariupol e a dificuldade na evacuação de civis de Sievierodonetsk. A coordenadora contou que “as partes neste conflito estão descaradamente ignorando suas obrigações sob o direito internacional humanitário e de direitos humanos”.”

Veja a notícia completa em: https://news.un.org/pt/story/2022/06/1794302 

China critica nova doutrina estratégica da Otan

“A missão da China junto à União Europeia criticou duramente o novo Conceito Estratégico, documento de doutrina lançado na quarta (29) pela Otan, aliança militar ocidental. O texto pela primeira vez cita Pequim como fonte de “desafios sistemáticos à segurança euro-atlântica” e aponta riscos na relação próxima entre chineses e russos, os principais adversários descritos no Conceito —uma obviedade dado que a Otan apoia a Ucrânia invadida por Moscou. “Houve alguma guerra ao longo dos anos em que a Otan não estivesse envolvida? O chamado Conceito Estratégico, recheado de mentalidade da Guerra Fria e viés ideológico, está atacando e difamando a China de forma maliciosa. Nós nos opomos firmemente a ele. Quando se trata de atos para minar os interesses da China, nós daremos respostas fortes e firmes”, disse a missão.” (Igor Gielow, Folha)

Veja a notícia em: https://aovivo.folha.uol.com.br/mundo/2022/06/29/6177-acompanhe-as-principais-noticias-sobre-a-guerra-da-ucrania.shtml#post417579

Rússia vê nova cortina de ferro a separando do Ocidente

O chanceler russo, Serguei Lavrov, disse nesta quinta (30) que uma nova cortina de ferro está descendo entre o seu país e o Ocidente. Cortina de ferro foi o termo cunhado pelo primeiro-ministro Winston Churchill para definir o início da Guerra Fria na Europa, com a divisão de países entre aliados dos EUA a oeste e da União Soviética, a leste. Em 1946, ele disse: “De Stettin no Báltico a Trieste no Adriático, uma cortina de ferro desceu sobre o continente”. Lavrov, após reuniões na aliada Belarus, disse que “o processo já começou” ao comentar a nova doutrina estratégica da Otan, que recolocou a Rússia como inimiga devido à Guerra da Ucrânia e incluiu a China como adversária. “No que tange uma cortina de ferro, ela essencialmente já está descendo”, afirmou o russo. Ele disse que o Ocidente não tem interesse nas posições russas. “[A União Europeia] está interessada no que foi decidido em Bruxelas [sede do bloco]. E o que foi decidido lá foi decidido em Washington”, disse, apontando o dedo acusador aos EUA. (Igor Gielow, Folha)

Veja a notícia em: https://aovivo.folha.uol.com.br/mundo/2022/06/29/6177-acompanhe-as-principais-noticias-sobre-a-guerra-da-ucrania.shtml#post417588 

Biden defende venda de caças a turcos, e Grécia faz pedido de F-35

Em um desenvolvimento diretamente associado ao fim do veto turco à entrada da Finlândia e da Suécia na Otan como consequência da Guerra da Ucrânia, o presidente dos EUA, Joe Biden, afirmou ser favorável à venda de novos caças F-16 para a Turquia. A venda está travada há anos, depois que Ancara passou a comprar material militar da Rússia e foi retirada do programa do novo modelo F-35. “Não houve quid pro quo [uma coisa pela outra, em latim]. Nós devemos vender, mas preciso de aprovação congressual para tanto”, disse Biden. Em paralelo, a maior rival da Turquia na Otan, a Grécia, confirmou que quer comprar um esquadrão com 20 F-35, caça de quinta geração que vem ganhando mercados ocidentais com a guerra. (Igor Gielow, Folha)

Veja a notícia em: https://aovivo.folha.uol.com.br/mundo/2022/06/29/6177-acompanhe-as-principais-noticias-sobre-a-guerra-da-ucrania.shtml#post417575

Filho de ditador toma posse nas Filipinas 36 anos após revolta popular derrubar seu pai

“A família Marcos voltou ao poder nas Filipinas nesta quinta-feira (30), 36 anos após uma revolta popular derrubar o patriarca, o ditador Ferdinand Marcos. Seu filho, Ferdinand Marcos Jr., 64, foi eleito presidente do país no mês passado em uma vitória acachapante e tomou posse nesta quinta, com elogios ao pai em uma tentativa de recuperar o legado da família, expulsa do poder em 1986. “Estamos aqui para consertar uma casa dividida, para torná-la inteira e para ficarmos fortes novamente”, disse o presidente, conhecido como “Bongbong”, em um discurso de posse de 30 minutos que contou com a presença da irmã Imee, senadora, e da mãe Imelda, figura controversa durante os anos ditatoriais. O falecido ditador Ferdinand Marcos comandou as Filipinas por duas décadas, a partir de 1965, quase metade desse período sob a famosa lei marcial de 1972, espécie de AI-5 filipino, que, sob o pretexto de evitar uma revolta comunista, prendeu opositores, cometeu abusos de direitos humanos contra 11 mil pessoas e foi responsável pela morte de 2.326 pessoas, além de 1.922 casos documentados de tortura, de acordo com um órgão do governo criado para apurar os crimes do período.”

Veja a notícia completa em: https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2022/06/filho-de-ditador-toma-posse-nas-filipinas-36-anos-apos-revolta-popular-derrubar-seu-pai.shtml

Rússia está aberta ao diálogo sobre não proliferação de armas nucleares, diz Putin

“O presidente russo, Vladimir Putin, disse nesta quinta (30) que Moscou está aberta ao diálogo sobre a não proliferação nuclear, mas que não há nenhuma conversa com Washington nos planos por enquanto. Apesar da invasão da Ucrânia pela Rússia, tanto Moscou quanto Washington enfatizaram a importância de manter a comunicação sobre a questão das armas nucleares. Os dois países são as maiores potências nucleares do mundo, com cerca de 11 mil ogivas somando ambos. Mais tarde nesta quinta, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, confirmou que não houve contato direto entre Putin e o presidente dos EUA, Joe Biden, desde que a Rússia lançou o que chama de “operação militar especial” na Ucrânia em fevereiro. Questionado se havia algum plano para negociações de estabilidade entre os dois países, ele disse que, infelizmente, não.”

Veja a notícia em: https://aovivo.folha.uol.com.br/mundo/2022/06/29/6177-acompanhe-as-principais-noticias-sobre-a-guerra-da-ucrania.shtml#post417572

Reino Unido vai enviar especialistas militares à Bósnia-Herzegóvina para combater influência russa

“O Reino Unido vai enviar especialistas militares à Bósnia-Herzegovina para combater a influência da Rússia, “reforçar a missão da Otan e promover estabilidade e segurança” no país, anunciou o governo nesta quinta-feira (30). “Não podemos permitir que os Bálcãs Ocidentais se tornem um novo parque de diversões para as perseguições perniciosas do [presidente russo, Vladimir] Putin”, diz comunicado do governo. “É por isso que estamos intensificando o apoio à Bósnia e Herzegovina, respondendo ao apelo de nossos amigos para ajudar a proteger a paz que eles merecem desfrutar”.”

Veja a notícia em: https://aovivo.folha.uol.com.br/mundo/2022/06/29/6177-acompanhe-as-principais-noticias-sobre-a-guerra-da-ucrania.shtml#post417568 

Israel dissolve Parlamento, e Netanyahu pode voltar ao poder nas próximas eleições

“O Parlamento de Israel votou nesta quinta-feira (30) sua própria dissolução, pondo fim ao breve governo do ultradireitista Naftali Bennett. O primeiro-ministro será substituído à meia-noite (18h, no horário de Brasília) provisoriamente por Yair Lapid, atual ministro das Relações Exteriores, um progressista de centro que liderava com Bennett a coalizão governista que agora se esfarela. A próxima eleição para o Knesset, a quinta em menos de quatro anos, deve ocorrer em 1º de novembro, num cenário no qual se desenha o possível retorno do ex-premiê Binyamin Netanyahu ao poder. O direitista saiu de cena há um ano, quando uma frente ampla formada por partidos rivais de ideologias opostas foi forjada para tirar o mais longevo líder de Israel do cargo após um recorde de 12 anos. Na semana passada, Bennett decidiu dissolver o Parlamento após disputas internas tornarem a frente ampla insustentável —a aliança reunia siglas de esquerda, direita, centro e a Lista Árabe.”

Veja a notícia completa em: https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2022/06/parlamento-israelense-e-dissolvido-e-pais-tera-5a-eleicao-em-4-anos.shtml 

Conferência em Lisboa termina com promessa de “mudança transformadora” para os oceanos

“A Conferência dos Oceanos das Nações Unidas terminou esta sexta-feira, em Lisboa, com a divulgação da declaração final acordada por mais de 150 países-membros da ONU. Chefes de Estado e de governo afirmam estar “profundamente alarmados com a emergência global enfrentada pelos oceanos”, incluindo “aumento do nível do mar, da erosão costeira, do aquecimento e da acidificação dos oceanos”. No texto, de sete páginas, as nações citam o “arrependimento profundo” ao reconhecerem a sua “falha coletiva em alcançar” várias das metas do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 14, que foca na vida marinha. Ao mesmo tempo, os países renovam o seu “compromisso em tomar medidas urgentes e em cooperar nos níveis global, regional e sub-regional para se alcançar todas as metas o mais rápido possível e sem mais demoras”. Na cerimônia de encerramento da Conferência dos Oceanos, o subsecretário-geral da ONU para Assuntos Jurídicos, Miguel Serpa Soares, declarou ter ficado “impressionado com os novos compromissos feitos por muitos países”.”

Veja a notícia completa em: https://news.un.org/pt/story/2022/07/1794482

Xi Jinping volta a dizer que só quer patriotas em Hong Kong, e novo líder promete não decepcionar

“John Lee, o novo chefe do Executivo de Hong Kong, oficializou sua posse nesta sexta-feira (1º), dia que marca os 25 anos do retorno da ilha, uma ex-colônia britânica, para a China, com um discurso que dá o tom de sua embrionária administração. “Não vamos decepcionar o presidente Xi [Jinping].” O líder do regime chinês, por sua vez, reiterou em sua fala o que já é visto na prática. “Manter o poder político nas mãos de patriotas é uma regra política comumente praticada no mundo”, afirmou. No ano passado, os honcongueses tiveram um exemplo claro do que Pequim estabelece como um filtro patriótico. A eleição legislativa foi marcada por baixa participação e ausência de nomes pró-democracia, resultado de uma reforma para que só os considerados patriotas pela China pudessem se candidatar. Ainda durante o discurso no Centro de Convenções e Exposições, comprometeu-se a seguir à risca a cartilha de tarefas enviada por Xi.”

Veja a notícia completa em: https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2022/07/novo-lider-de-hong-kong-promete-nao-decepcionar-o-presidente-xi.shtml 

Acordo com Suécia e Finlândia não é garantia de adesão à Otan, diz Turquia

“Um acordo assinado com a Finlândia e a Suécia para suspender o veto da Turquia às propostas de adesão à Otan não é o fim da questão e obriga os países nórdicos a manterem suas promessas, disse o presidente Recep Tayyip Erdogan nesta sexta-feira (1º). Após quatro horas de conversas em Madri, na terça (28), o líder turco e seus colegas finlandeses e suecos concordaram com uma série de medidas de segurança em troca do apoio de Ancara, que levantou preocupações sobre terrorismo e embargos de armas. A repórteres em um voo de volta da cúpula da Otan em Madri Erdogan disse que não há necessidade de se apressar em ratificar as duas propostas no Parlamento. Ancara deve primeiro ver se eles cumprem as promessas feitas sob o memorando, incluindo a extradição de suspeitos procurados pela Turquia.”

Veja a notícia completa em: https://aovivo.folha.uol.com.br/mundo/2022/06/29/6177-acompanhe-as-principais-noticias-sobre-a-guerra-da-ucrania.shtml#post417606

Premiê da Noruega vai a Kiev e promete 1 bilhão de euros em ajuda à Ucrânia

“A Noruega prometeu nesta sexta-feira (1º) enviar € 1 bilhão (R$ 5,53 bilhões) à Ucrânia para gastos com defesa, assistência a vítimas e reconstrução do país. O anúncio foi feito pelo premiê Jonas Gahr Stoere em Kiev, capital ucraniana, ao lado do presidente Volodimir Zelenski. “Estou aqui para dizer que a luta da Ucrânia não é apenas pela Ucrânia. Trata-se de alguns princípios fundamentais do mundo que vamos deixar aos nossos filhos. Trata-se da segurança da Europa, trata-se do destino do seu vizinho”, disse. “Esta guerra é uma violação do direito internacional. (…) Você tem o direito de se defender, e nós temos o direito de ajudá-lo a se defender.” Questionado se a Noruega está disposta a aumentar o fornecimento de gás para a Europa, Stoere disse que a produção do país já está em sua capacidade máxima.”

Veja a notícia completa em: https://aovivo.folha.uol.com.br/mundo/2022/06/29/6177-acompanhe-as-principais-noticias-sobre-a-guerra-da-ucrania.shtml#post417612 

União Europeia pede que Ucrânia acelere combate à corrupção para entrar no bloco

“A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, instou a Ucrânia a intensificar as estratégias nacionais de combate a corrupção e, assim, avançar nas reformas exigidas para que o país passe a integrar a União Europeia (UE). A alemã discursava, por videoconferência, para parlamentares ucranianos nesta sexta (1º). Líderes da UE concederam à Ucrânia o status de país candidato ao bloco na semana passada, mas o processo de adesão é longo. Von der Leyen disse que é preciso estruturar uma “impressionante máquina anticorrupção” e elogiou algumas medidas já implementadas, como a tentativa de desoligarquizar a economia. “O caminho será longo, mas a Europa estará ao lado de vocês em cada etapa, pelo tempo necessário —dos dias sombrios da guerra até o momento em que vocês atravessarem o limite da União Europeia”, disse ela.”

Veja a notícia completa em: https://aovivo.folha.uol.com.br/mundo/2022/06/29/6177-acompanhe-as-principais-noticias-sobre-a-guerra-da-ucrania.shtml#post417598

Governo e indígenas no Equador firmam acordo para acabar com protestos

“Após voltar à mesa de diálogo nesta quinta (30), com mediação da Igreja Católica, representantes do movimento indígena do Equador e o governo de Guillermo Lasso firmaram um acordo para encerrar os protestos que há mais de duas semanas ocupam as ruas contra a alta no preço dos combustíveis. A Conaie, maior organização indígena do país, afirmou que considera oficialmente encerrada o que chama de primeira etapa dos atos e que, em 90 dias, irá avaliar o cumprimento dos compromissos firmados. A Conferência Episcopal Equatoriana, na leitura da ata, disse que o governo se comprometeu a reduzir mais US$ 0,05 no preço do galão do diesel e no da gasolina, levando a redução total a US$ 0,15 —no primeiro anúncio de diminuição, os protestos não cessaram. Antes, a Conaie pedia redução de US$ 0,40. Lasso, na Presidência há um ano, escapou na terça (28) de um processo de impeachment pleiteado pela oposição, que o acusava de inabilidade para lidar com os atos, em grande parte liderados por indígenas.”

Veja a notícia completa em: https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2022/06/governo-e-indigenas-no-equador-firmam-acordo-para-acabar-com-protestos.shtml

Brasil enfrenta resistência a submarino nuclear em agência da ONU

“A pretensão brasileira de ter um submarino nuclear, que já consumiu bilhões de reais em 43 anos, enfrenta agora um de seus maiores desafios: obter o aval internacional para o uso do combustível da embarcação, evitando assim o risco de sofrer sanções pelo temor de proliferação atômica. No dia 6 de junho, o Brasil fez um pedido formal à AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica, ligada à ONU) para negociar um pacote de salvaguardas com o objetivo de empregar urânio enriquecido no reator do submarino —cujo protótipo começou a ser construído em 2021 pela Marinha, em Iperó (SP). A negociação é altamente complexa por estabelecer um precedente inédito: um país sem armas nucleares empregando combustível atômico para fins militares —o que sempre gera a preocupação de usos diversos. A Folha ouviu de diplomatas com trânsito na agência, em Viena, que dificilmente tal autorização ocorrerá sem que o Brasil ceda em algumas posições históricas.”

Veja a notícia completa em: https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2022/07/brasil-enfrenta-resistencia-a-submarino-nuclear-em-agencia-da-onu.shtml

Paulo Velasco: Os muitos tons de cinza da esquerda latino-americana

“A vitória de Gustavo Petro nas recentes eleições colombianas, um ex-guerrilheiro do M-19 que será o primeiro presidente de esquerda da história do país e que tem como companheira de chapa Francia Marquez, mulher afro-colombiana e ambientalista, possui enorme valor simbólico para o país e toda a região. Mas não permite a conclusão de que estamos diante do avanço de nova “onda rosa”, fenômeno que anos 2000 denotava a ampla ascensão de governos progressistas por toda a região. De fato, sucumbir à tentação de juntar todos os governos de esquerda na América Latina, e já são mesmo muitos, sob uma mesma chave conceitual é ignorar as profundas diferenças e até antagonismos entre muitos deles e aplicar visão simplista e superficial sobre a realidade política subregional. É impossível negligenciar também o fato de que a direita ou centro-direita também teve vitórias importantes nos últimos anos, como a de Guillermo Lasso no Equador, país que nos anos 2000 teve o icônico Rafael Correa como presidente, e a de Lacalle Pou no Uruguai, encerrando 15 anos de governo da Frente Ampla no país.”

Leia o artigo completo em: https://odia.ig.com.br/opiniao/2022/06/6431858-paulo-velasco-os-muitos-tons-de-cinza-da-esquerda-latino-americana.html 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *