O que esperar do concurso ABIN? – Língua Espanhola

Caros aspirantes ao Serviço Brasileiro de Inteligência,

A Língua Espanhola é uma disciplina que não aparece com muita frequência nas provas de concursos públicos. Normalmente, as seleções que abarcam essa disciplina são aquelas realizadas para os cargos de carreiras internacionais, como é o caso do certame para Oficial de Inteligência da ABIN. Vamos, então, analisar como o conteúdo de Espanhol costuma ser requerido nesta seleção para que vocês possam se preparar desde já para o novo exame, cujo edital está prestes a ser pulicado!

Como vimos no post anterior, pupilos, a Língua Espanhola foi a segunda opção de idioma para escolha dos candidatos ao realizar a prova objetiva, na Primeira Fase. Esse é um dos pontos positivos do concurso, pois permite que os postulantes se dediquem aos estudos de apenas uma língua estrangeira, sem que haja sobrecarga de conteúdo para aprendizado e revisão durante a preparação.

Os aspectos da prova de Espanhol na última edição do processo seletivo foram basicamente os mesmos dos que verificamos anteriormente em Língua Inglesa. As questões integraram a parte de “Conhecimentos Específicos” do exame objetivo geral e consistiram de vinte e cinco itens a serem julgados como certos ou errados, no modelo usual da banca Cespe. Além disso, também foram somente dois os objetivos de avaliação definidos pelo edital para essa matéria:

1 Compreensão de texto escrito em língua espanhola e

2 Itens gramaticais relevantes para a compreensão dos conteúdos semânticos.

Por outro lado, o exame de Língua Espanhola teve uma configuração distinta e contou com apenas um texto, com extensão de 53 linhas – diferente de Inglês, cuja prova possuiu três textos mais sucintos. O arquivo completo da prova pode ser acessado nesta página do Cespe/UnB.

Para finalizar a nossa análise, a seguir, temos um panorama para lá de interessante do estimado mestre Juan Martín a respeito da abordagem da Língua Espanhola neste certame. Assistam e entendam melhor por que o idioma é – e muito provavelmente continuará sendo – selecionado para compor a avaliação dos futuros Oficiais de Inteligência do Brasil! 🙂

.

Participação especial neste post:

avatar_juan

Juan Manuel Martín – Bacharel em Direito pela Universidad Nacional de Córdoba (UNC) e professor de Língua Espanhola nos cursos preparatórios de Carreiras Internacionais do Damásio Educacional / Clio.

 

 

 

VEJA TAMBÉM:

O que esperar do concurso ABIN? – Atualidades

O que esperar do concurso ABIN? – Geografia Contemporânea

O que esperar do concurso ABIN? – Língua Portuguesa

O que esperar do concurso ABIN? – Direito Constitucional

O que esperar do concurso ABIN? – Língua Inglesa

.

#PassandoDeFase no CACD – Língua Espanhola e Língua Francesa

Estimadas e estimados aspirantes à Carreira de Diplomata,

Uma das maiores novidades do CACD 2017 foi o retorno da prova de Língua Espanhola e Língua Francesa para o formato discursivo. Observando as últimas edições do concurso, podemos verificar que essas disciplinas são abordadas somente na etapa final da seleção e, juntas, compõem um exame único com valor total de cem pontos, no qual cada matéria abarca metade dessa pontuação. Neste ano, essa configuração será mantida, todavia, as questões vão seguir um modelo bem diferente daqueles praticados anteriormente e possuirão um nível de dificuldade consideravelmente superior.

Confiram as informações gerais sobre a avaliação:

Data e horário da prova:

  • 08 de outubro (domingo)
  • Início: 15h00
  • Término: 19h00

Composição da prova:

  • 2 questões de Língua Espanhola (um resumo e uma versão) – 25 pontos cada uma
  • 2 questões de Língua Francesa (um resumo e uma versão) – 25 pontos cada uma
  • Pontuação máxima: 100 pontos

Conteúdo programático requerido:

QUESTÕES ITENS DE AVALIAÇÃO
1. Elaboração de resumo, em espanhol, a partir de texto escrito em língua espanhola Capacidade de síntese e de reelaboração em um registro culto.
2. Elaboração de resumo, em francês, a partir de texto escrito em língua francesa
3. Versão de um texto do português para o espanhol Fidelidade ao texto-fonte, respeito à qualidade e ao registro do texto-fonte e a correção morfossintática e lexical.
4. Versão de um texto do português para o francês

Baixe aqui a tabela em PDF

Devido à inovação no modelo das questões, essas duas disciplinas não possuem um material de apoio aos estudos tão vasto (provas anteriores e Guias de Estudos, por exemplo) como as demais matérias da Terceira Fase. Os conteúdos mais próximos disso são os exercícios de versão (português para o francês) requeridos no extinto Exame Vestibular ao Curso de Preparação à Carreira de Diplomata, que constam nos Anuários do IRBr de 1980 a 1990, conforme vimos anteriormente na série De Olho na Banca.

Nesta etapa do processo seletivo, é imprescindível uma preparação baseada na prática de exercícios regulares, pupilos! O mais recomendável neste momento é executar um treinamento apropriado e eficaz, no qual vocês possam praticar e se familiarizar cada vez mais com a forma como conteúdo de Espanhol e de Francês será cobrado na prova. Neste sentido, é bastante válido procurar ajuda especializada, especialmente se o candidato não possui domínio dessas línguas estrangeiras.

A seguir, os professores Juan Martín e Frédéric Estève, mestres da Língua Espanhola e da Língua Francesa respectivamente, trazem para vocês explicações detalhadas sobre as questões discursivas de cada disciplina, e também dão dicas de estudos supimpas para uma preparação à altura do desafio da Terceira Fase do CACD. Assistam aos vídeos e façam proveito das orientações, meus caros! 😉

 

 

Participações especiais neste post:

avatar_fred

 

Frédéric Estève – Titular do Master Executivo do Institut d’Administration des Entreprises d’Aix-en-Provence e professor de Língua Francesa nos cursos preparatórios de Carreiras Internacionais do Damásio Educacional / Clio.

avatar_juan

 

Juan Manuel Martín – Bacharel em Direito pela Universidad Nacional de Córdoba (UNC) e professor de Língua Espanhola nos cursos preparatórios de Carreiras Internacionais do Damásio Educacional / Clio.

 

 

VEJA TAMBÉM:

passandofase_hb-jpeg

 

 

#PassandoDeFase no CACD – História do Brasil

 

 

passandofase_dip

 

 

#PassandoDeFase no CACD – Direito Internacional Público

De Olho na Banca: CACD – Língua Espanhola

Caríssimas e caríssimos,

Chegamos à última disciplina da nossa análise sobre a banca Cespe/UnB no âmbito do Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD)! A Língua Espanhola, assim como Língua Francesa, é uma das matérias de menor peso relativo no certame, já que é cobrada apenas na terceira e última fase do processo seletivo. Precisamos ter em mente, porém, que o Edital 2017 trouxe alterações importantes no conteúdo programático e no formato da prova de Espanhol. Desse modo, os estudos dessa disciplina, cujo exame possui caráter eliminatório e classificatório, devem ser organizados sem negligências e de forma proporcional ao seu grau de importância.

Visto que a Língua Espanhola divide uma mesma prova com Língua Francesa, registrada como “Prova de Língua Espanhola e Língua Francesa” pelo edital do concurso, o histórico de aspectos de configuração de ambas disciplinas é também o mesmo. Portanto, em termos estruturais, o exame de Espanhol nos últimos anos seguiu o que vimos anteriormente na análise da banca de Francês: questões discursivas curtas de interpretação de texto nas edições de 2009 a 2013 e perguntas objetivas do tipo “certo ou errado” no período de 2014 a 2016.

No CACD 2017, a prova retornará para o modelo escrito, todavia, requerendo respostas mais elaboradas e aprofundadas em termos de conteúdo. O edital vigente prevê duas questões de Língua Espanhola, com valor de 25 pontos cada uma, da seguinte forma:

1) formulação de um resumo, em Espanhol, a partir de texto escrito em Língua Espanhola e

2) produção de uma versão (tradução) de um texto da Língua Portuguesa para o Espanhol.

A nova versão da avaliação de Língua Espanhola também terá demandas específicas em relação ao conteúdo teórico da disciplina. Para entendermos melhor todos os detalhes dessas exigências, nosso estimado mestre Juan Martín explica, no vídeo a seguir, como eram e como estão atualmente as características e particularidades da banca de Espanhol no CACD. Assistam atentamente e guardem bem as orientações do professor, pois, em breve, elas precisarão ser colocadas em prática!

 

A análise completa das bancas de todas as disciplinas do CACD pode ser visualizada bem aqui, pupilos! Se vocês perderam alguma edição ou quiserem assistir aos vídeos novamente, basta acessar essa página. 🙂

 

Participação especial neste post:

9 verdades e 1 mentira do Barão: Língua Espanhola

Baronesas e Barões,

 

Além do domínio da Língua Inglesa, geralmente, os profissionais de carreiras internacionais buscam se aperfeiçoar em outros idiomas. Isso porque, nesta área, o contato com profissionais de outras nacionalidades é quase inevitável. Em algum momento da atuação, será necessária a comunicação com pessoas, organizações ou culturas de outros países e o conhecimento de uma língua diferenciada pode ser uma ferramenta importante nessa experiência. Ademais, algumas seleções públicas requerem certa compreensão de mais de uma língua estrangeira dos (as) candidatos (as) em suas provas. A exemplo disso, podemos citar o concurso da diplomacia (CACD) e o processo seletivo da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Dentre os idiomas mais requeridos nas seleções profissionais, tanto públicas quanto privadas, está a Língua Espanhola. A disciplina tem uma importância especial para o Brasil, visto que a maioria dos países vizinhos possuem essa língua como oficial. Portanto, é interessante reservar um tempo na agenda de estudos para essa matéria, pupilos!

Para nos ajudar a conhecer melhor o idioma, o professor Juan Martín listou algumas curiosidades e quer saber se vocês conseguem descobrir qual é a informação falsa. ¡Aquí vamos! 😀

 

9 verdades e 1 mentira de Língua Espanhola:

  1. O espanhol é uma língua romance que procede do latim, portanto, é irmã do português, do galego, do catalão, do francês, do italiano, do romeno e do occitano.
  1. Os nomes Santiago, Mateo e Juan são os mais usados na Argentina para homens.
  1. Em espanhol, se utiliza a palavra “ojalá”, que significa literalmente “que deus queira”. Só que, na verdade, estamos invocando a Alá. Assim, “ojalá” é uma evolução de “lawsha’aAllah”, árabe que logo virou “oxalá” e finalmente “ojalá”.
  1. Os nomes María, Sofía e Lucía são os mais usados na Argentina para mulheres.
  1. As palavras “ecuatorianos” e “aeronáuticos” tem as mesmas letras com uma ordem diferente.
  1. Cristoval Colon (como era conhecido Colombo na Espanha), quem tinha chegado a América sob as ordens dos Reis da Espanha, era português.
  1. Para o ano 2050, os Estados Unidos será o país onde o espanhol será o idioma mais falado.
  1. O “Español” é o segundo idioma mais falado no planeta: quase 500 milhões de pessoas. Só fica depois do chinês mandarim com uns 1.000 milhões.
  1. A língua oficial e co-oficial em 20 países no mundo (18 em América, 1 na Europa e 1 na África) é o espanhol.
  1. O espanhol foi o primeiro idioma oficial e unificado das Filipinas desde 1565, com a chegada dos espanhóis nessas terras asiáticas, até 1973, quando foi eliminado definitivamente como idioma oficial.

 

Gabarito em breve!

 

[Atualização em 08 de maio: a mentira é o número 6.]

 

 

Participação especial neste post: