O Mundo em 3 Minutos #9: G20: Reunião de Cúpula 2017

O Mundo em 3 Minutos #9: G20: Reunião de Cúpula 2017

Minhas caras e meus caros,

Na semana passada, vimos acontecer a 12ª Reunião de Cúpula do G20 (Grupo dos 20, formado pelos dezenove países que possuem as maiores economias do mundo e pela a União Europeia), um fórum de cooperação internacional em questões financeiras e econômicas. Ocupando a presidência do grupo desde dezembro de 2016, a Alemanha foi a anfitriã do encontro e as respectivas cerimônias e atividades ocorreram na cidade de Hamburgo. A grande relevância desse evento pode ser verificada quando analisamos os dados envolvidos: os vinte atores representam mais de quatro quintos do Produto Interno Bruto (PIB) mundial e três quartos do comércio global, e são quase dois terços da população de todo o planeta.

g20_weltkarte_en

Além dos dezenove países que compõem o grupo junto à União Europeia – África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, China, Coreia do Sul, Estados Unidos, França, Índia, Indonésia, Itália, Japão, México, Reino Unido, Rússia e Turquia – as reuniões do G20 também contam com a participação de Estados e órgãos convidados, sendo a Espanha um parceiro externo permanente em todas as cúpulas. Em 2017, a presidência alemã convidou a Noruega, os Países Baixos e a Cingapura, bem como a União Africana (UA), representada pela Guiné, a Cooperação Econômica da Ásia-Pacífico (APEC), representada pelo Vietnã, e a Nova Parceria para o Desenvolvimento da África (NEPAD), representada pelo Senegal.

As organizações internacionais também participam regularmente das conferências. Dentre elas estão a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Fundo Monetário Internacional (FMI), o Conselho de Estabilidade Financeira (CEF), o Banco Mundial, a Organização Mundial do Comércio (OMC), a Organização de Cooperação Econômica e Desenvolvimento (OCDE) e a Organização das Nações Unidas (ONU). Para a edição deste ano, a presidência alemã convidou ainda a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Os ministros das finanças e os chefes dos bancos centrais dos países-membro do G20 realizam encontros regulares desde 1999, ano da criação do grupo. No entanto, as reuniões de cúpula com os chefes de Estado começaram a ocorrer em 2008 e tornaram-se anuais a partir de 2011. Tradicionalmente, os assuntos tratados nessas ocasiões são relacionados ao crescimento econômico global, ao comércio internacional e à regulamentação dos mercados financeiros. Com o passar dos anos, outras questões de importância global, muitas vezes ligadas a temas econômicos, foram introduzidas na agenda. Tais como: mudanças climáticas; política de desenvolvimento; mercado de trabalho e política de emprego; disseminação de tecnologia; luta contra o terrorismo; entre outros.

2017-07-08-arbeitssitzung

Na Reunião de Cúpula 2017, realizada nos dias 7 e 8 de julho, os chefes de Estado discutiram temas variados e conseguiram firmar alguns compromissos em diferentes campos políticos. Como resultado, diversos documentos e declarações foram elaborados de forma conjunta pelos países-membro. O principal deles foi a Declaração da Cúpula dos Chefes de Estado e de Governo, que trouxe uma série de iniciativas sobre temáticas variadas. As propostas abrangem assuntos como o livre comércio e a OMC, o Acordo de Paris, a regulamentação do mercado financeiro internacional, a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, o avanço profissional de mulheres e as migrações internacionais e deslocamentos internos.

Por outro lado, a reunião dos países mais ricos do mundo foi marcada por intensos protestos populares nas ruas de Hamburgo. Os atos, que ocorreram durante todo o evento, foram realizados sob os lemas “Solidariedade sem fronteiras em vez de G20” e “Bem-vindos ao inferno” para demonstrar a insatisfação dos manifestantes com a existência do G20 e a gerência do sistema internacional por esse grupo. Os conflitos violentos entre policiais e participantes das manifestações resultaram em dezenas de feridos e detidos e, em certa medida, acabaram perturbando a organização da cúpula e prejudicando a imagem da Alemanha.

Para compreendermos melhor o desenrolar da última Reunião de Cúpula do G20, nosso querido mestre Tanguy Baghdadi veio analisar e destacar, pela ótica da Política Internacional, os principais aspectos desse encontro tão importante para o cenário mundial como um todo. Vejam, no vídeo abaixo, os pontos expostos pelo professor! 🙂

 

Participação especial neste post:

Imagem do Professor

Tanguy Baghdadi

Mestre em Relações Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC - RJ). Professor de Política Internacional e Coordenador Científico nos cursos preparatórios da área de Carreiras Internacionais do Damásio Educacional – Clio.

Related Posts
Deixe um comentário
What is the capital of Egypt ?