CACD 2020 – Panorama completo do concurso e dicas de estudos

Futuras e futuros diplomatas,

Tivemos, hoje, a notícia que aguardávamos com grande expectativa: foi publicado o Edital do CACD 2020 – o Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata deste ano!

Na Portaria divulgada no dia 14 de maio, já pudemos observar orientações importantes sobre a estrutura e o funcionamento da seleção. O edital recém-publicado, por sua vez, traz informações detalhadas do certame, que merecem bastante atenção dos candidatos e candidatas. Assim sendo, neste post, vocês podem obter um panorama especial das informações do concurso, com uma explicação detalhada sobre as características das provas deste ano.

Leiam atentamente e aproveitem o conteúdo para organizar seus planos de estudos nesta reta final!

 

 

* Importante:

O candidato que optar por concorrer às vagas reservadas às pessoas negras poderá optar, também, no período de inscrição, por meio de link específico disponível no endereço eletrônico www.iades.com.br, por concorrer à bolsa-prêmio da edição subsequente do Programa de Ação Armativa do Instituto Rio Branco (PAA/IRBr).

 

 

Tempo para realização das provas:

– Primeira Fase: dois períodos: o primeiro, iniciando-se às 9 horas e 30 minutos, com duração de 3 horas; e o segundo, iniciando-se às 15 horas, com duração de 3 horas.

– Segunda Fase: início às 14 horas, com duração de 5 horas, nos dois dias.

– Terceira Fase: dois períodos em cada dia: o primeiro, iniciando-se às 9 horas, com duração de 4 horas; e o segundo, iniciando-se às 15 horas, com duração de 4 horas.

 

 

 

 

 

Primeira Fase: prova objetiva, constituída de questões do tipo “C ou E” (certo ou errado).

 

Segunda Fase: provas compostas por questões discursivas.

 

Terceira Fase: provas compostas por questões discursivas.

 

Todas as informações e atualizações sobre o CACD 2020 estão disponíveis no site do IADES – instituição organizadora do concurso.

 

Para auxiliá-los no entendimento de todos os detalhes do certame, nosso time de professores especializados realizou uma live especial de análise do edital por disciplina, para dar orientações sobre o conteúdo programático e dicas especiais para os estudos nesta reta final da preparação. Assistam e aproveitem! 👇

 

Agora, é sebo nas canelas e força total na preparação, minhas queridas e meus queridos! Ótimos estudos! 💚

 

DICAS EXTRAS DO BARÃO

Aproveitem os cursos CACD Primeira Fase Comentada 2019 e CACD Segunda Fase Comentada 2019 – 100% online e gratuitos – de correção e comentários de todas as provas de 2019 por um time de professores especializados no concurso. Inscrevam-se e comecem já a se preparar para o CACD 2020.

Confiram o post Manuais, Guias e Provas: materiais oficiais e gratuitos para o CACD, e saibam como utilizar os conteúdos livres e complementares nos estudos para o concurso!

.

Sabatina do Barão | História Mundial – Gabarito comentado #1

Estimadas e estimados aspirantes a diplomata,

Chegou a vez da nossa sabatina de História Mundial!

Quais são os itens certos e/ou errados na questão abaixo sobre o período da Guerra Fria?

QUESTÃO:

Sobre a Guerra Fria, julgue as sentenças em C (certa) ou E (errada):

I. Na Guerra Fria Clássica, a definição da bipolaridade ocorreu com a criação de instituições como a OTAN e o Pacto de Varsóvia, o Plano Marshall e a Comecon, e a Aliança para o Progresso e o Comintern, em fins dos anos 1940 e começo da década de 1950.
II. Sob Stalin, com a doutrina do “socialismo num só país”, o bloco socialista conteve seu ímpeto expansionista, construindo as bases da chamada “coexistência pacífica”.
III. Kissinger foi o principal responsável pela “vietnamização” da guerra no sudeste asiático, promovendo a retirada das tropas dos EUA, o que abriu caminho para a unificação do país sob o socialismo na década de 1970.
IV. Na Nova Guerra Fria, Reagan soube muito bem tirar propósito da fragilidade soviética, visto que o regime comunista se mostrou incapaz de promover quaisquer reformas na política e na economia.

 

Comentários do professor

No vídeo abaixo, vocês podem conferir as respostas e os comentários do caríssimo mestre Marcus Dezemone sobre cada item da questão. Confiram e aproveitem todas as explanações!

 

GABARITO: EECE

 

Continuem treinando com orientações do professor, no modelo da prova objetiva de História Mundial no CACD! 

 

Colaboração especial neste post:

Marcus Dezemone – Doutor em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Atualmente, é professor adjunto de História do Brasil República da UFF, professor adjunto de História do Brasil da UERJ, e professor de História nos cursos da área de Diplomacia e Carreiras Internacionais do Clio – Damásio.

Sabatina do Barão | Língua Inglesa – Gabarito comentado #1

Futuras e futuros diplomatas,

Hoje, a nossa sabatina é na disciplina de Língua Inglesa!

Confiram a questão abaixo sobre trecho do livro Capital in the Twenty-First Century, de Thomas Pikettye respondam quais são os itens corretos e/ou errados.

 

QUESTÃO:

 

Malthus, Young, and the French Revolution

 

When classical political economy was born in England and France in the late eighteenth and early nineteenth century, the issue of distribution was already one of the key questions. Everyone realized that radical transformations were under way, precipitated by sustained demographic growth—a previously unknown phenomenon—coupled with a rural exodus and the advent of the Industrial Revolution. How would these upheavals affect the distribution of wealth, the social structure, and the political equilibrium of European society?

 

For Thomas Malthus, who in 1798 published his Essay on the Principle of Population, there could be no doubt: the primary threat was overpopulation. Although his sources were thin, he made the best he could of them. One particularly important influence was the travel diary published by Arthur Young, an English agronomist who traveled extensively in France, from Calais to the Pyrenees and from Brittany to Franche-Comté, in 1787–1788, on the eve of the Revolution. Young wrote of the poverty of the French countryside.

 

His vivid essay was by no means totally inaccurate. France at that time was by far the most populous country in Europe and therefore an ideal place to observe. The kingdom could already boast of a population of 20 million in 1700, compared to only 8 million for Great Britain (and 5 million for England alone). The French population increased steadily throughout the eighteenth century, from the end of Louis XIV’s reign to the demise of Louis XVI, and by 1780 was close to 30 million. There is every reason to believe that this unprecedentedly rapid population growth contributed to a stagnation of agricultural wages and an increase in land rents in the decades prior to the explosion of 1789. Although this demographic shift was not the sole cause of the French Revolution, it clearly contributed to the growing unpopularity of the aristocracy and the existing political regime.

 

Nevertheless, Young’s account, published in 1792, also bears the traces of nationalist prejudice and misleading comparison. The great agronomist found the inns in which he stayed thoroughly disagreeable and disliked the manners of the women who waited on him. Although many of his observations were banal and anecdotal, he believed he could derive universal consequences from them. He was mainly worried that the mass poverty he witnessed would lead to political upheaval. In particular, he was convinced that only the English political system, with separate houses of Parliament for aristocrats and commoners and veto power for the nobility, could allow for harmonious and peaceful development led by responsible people. He was convinced that France was headed for ruin when it decided in 1789–1790 to allow both aristocrats and commoners to sit in a single legislative body. It is no exaggeration to say that his whole account was overdetermined by his fear of revolution in France. Whenever one speaks about the distribution of wealth, politics is never very far behind, and it is difficult for anyone to escape contemporary class prejudices and interests.

 

When Reverend Malthus published his famous Essay in 1798, he reached conclusions even more radical than Young’s. Like his compatriot, he was very afraid of the new political ideas emanating from France, and to reassure himself that there would be no comparable upheaval in Great Britain he argued that all welfare assistance to the poor must be halted at once and that reproduction by the poor should be severely scrutinized lest the world succumb to overpopulation leading to chaos and misery. It is impossible to understand Malthus’s exaggeratedly somber predictions without recognizing the way fear gripped much of the European elite in the 1790s.

 

Piketty, Thomas. Capital in the Twenty-First Century

 

Considering the ideas and the vocabulary in text, mark the following items as right (C) or wrong (E):

  1. In the eighteenth century, the population growth rate in France was higher than the one in England.
  2. It can be inferred from the text that both the Industrial and French Revolution were upheavals.
  3. In the sentence “France at that time was by far the most populous country in Europe and therefore an ideal place to observe.” the underlined word can be replaced by nevertheless without a change in the meaning of the sentence.
  4. The observations made by Arthur Young in his diary were biased.
  5. It can be inferred from the text that until the 18th century humanity has never experienced an upholding populational growth.
  6. The demographic shift witnessed by Young was the main cause of the of the French Revolution.


Comentários da professora

No vídeo abaixo, vocês podem conferir as respostas e os comentários da caríssima professora Juliana Carvalho sobre cada item da questão. Assistam e anotem as explicações!

 

GABARITO:

1 2 3 4 5 6
E C E C C E

 

Continuem treinando com orientações da professora, no modelo da prova objetiva de Língua Inglesa no CACD! 

 

Colaboração especial neste post:

Juliana Carvalho – Professora de Inglês nos cursos da área de Diplomacia e Carreiras Internacionais do Clio – Damásio. Tem experiência de dez anos no ensino da língua inglesa e sua aplicação a produções e atividades acadêmicas e nas áreas de Administração Pública e de Empresas. Doutoranda em Administração de Empresas pela Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getulio Vargas (EBAPE/FGV).

Sabatina do Barão | Geografia – Gabarito comentado #1

Futuras e futuros diplomatas,

Hoje, a nossa sabatina é na disciplina de Geografia!

Confiram a questão abaixo sobre geografia urbana no Brasil, e respondam qual é a única alternativa correta.

 

QUESTÃO:

A urbanização brasileira seguiu a tendência do processo em países da periferia do capitalismo mundial, o que não elimina a existência de certas especificidades. Com relação a esse processo, assinale a alternativa correta:

(A) O Brasil vivenciou um processo de urbanização a partir de 1930 porque antes dessa data não tivemos nenhum momento em que a população urbana crescesse mais do que a população rural.

(B) O processo de urbanização ainda é muito desigual regionalmente porque o Sudeste e o Sul possuem elevado percentual de pessoas que residem em áreas urbanas enquanto no Nordeste, no Norte e no Centro Oeste a taxa de urbanização é reduzida.

(C) Durante parte expressiva do nosso processo de urbanização as maiores cidades lideraram o crescimento populacional, gerando uma metropolização exagerada e a formação de grandes regiões metropolitanas.

(D) São Paulo é a grande cidade global brasileira, mas vem sofrendo redução da sua importância na rede urbana do país, devido ao processo de descentralização industrial  e  aumento da relevância das cidades médias.

 

Comentários do professor:

No vídeo abaixo, vocês podem conferir as respostas e os comentários do caríssimo mestre João Felipe Ribeiro sobre cada item da questão. Assistam e anotem as explicações!

 

GABARITO: C

 

Continuem treinando com orientações do professor, no modelo da prova objetiva de Geografia no CACD! 

 

Colaboração especial neste post: 

Sabatina do Barão | História do Brasil – Gabarito comentado #1

Estimadas e estimados aspirantes a diplomata,

Chegou a vez da nossa sabatina de História do Brasil!

Quais são os itens certos e/ou errados na questão abaixo sobre a política externa do II Império?

QUESTÃO:

Com relação a política externa do II Império, julgue (C ou E) os itens seguintes.

I. Em tempos de hegemonia brasileira na Bacia do Prata, o Paraguai de Carlos López era o maior parceiro do Ministério dos Negócios Estrangeiros, firmando acordos favoráveis ao Império em troca de empréstimos vultosos mediados por José Maria da Silva Paranhos.
II. Diante do fracasso das Colônias de Parceria e a consequente proibição da imigração de prussianos para o Brasil, em 1859 uma solução apresenta-se como alternativa a vinda de europeus: o comerciante Manuel de Almeida Cadoso traz 300 chineses de Cingapura inaugurando uma colônia sino-brasileira em Campinas.
III. Ministro dos EUA no Rio de Janeiro, o general Webb rompe relações entre a pioneira república americana e o Brasil, declarando o governo imperial sua inconformidade com os atos de um agente que emprega “de preferência a linguagem violenta, o insulto e a ameaça”.
IV. Em tempos de contestação ao Império, sendo o lançamento do Manifesto Republicano um símbolo, o Império do Brasil rejeita a cessão de asilo a líderes da malograda Comuna de Paris em maio de 1871.

 

Comentários do professor

No vídeo abaixo, vocês podem conferir as respostas e os comentários do caríssimo professor Daniel Araújo sobre cada item da questão. Confiram e aproveitem todas as explanações!

 

GABARITO: EECE

 

Continuem treinando com orientações do professor, no modelo da prova objetiva de História do Brasil no CACD! 

 

Colaboração especial neste post:

Sabatina do Barão | Direito Interno – Gabarito comentado #1

Minhas caras e meus caros,

Hoje é a vez da nossa sabatina de Direito Interno!

Na questão objetiva abaixo, vocês devem apontar qual é a alternativa correta, explicando o porquê. Vamos lá!

QUESTÃO:

Assinale a alternativa correta sobre o Direito Constitucional brasileiro.

a) O controle de constitucionalidade, fundado no princípio da supremacia da Constituição, alcança as leis e demais atos normativos, inclusive as normas constitucionais derivadas e originárias.

b) Sob o prisma constitucional, o governo federal, os governos dos estados da Federação, os dos municípios e o do Distrito Federal são soberanos, pois estão investidos de poderes e competências governamentais absolutas.

c) Quaisquer tratados e convenções internacionais, depois de aprovados internamente em cada casa do Congresso Nacional, em dois turnos, por três quintos dos votos dos respectivos membros, são considerados equivalentes a emendas constitucionais.

d) Compete privativamente ao Senado Federal autorizar operações externas de natureza financeira, de interesse da União, dos Estados, do Distrito Federal, dos Territórios e dos Municípios.

 

Comentários do professor

No vídeo abaixo, vocês podem conferir as respostas e os comentários do caríssimo professor Ricardo Macau sobre cada item da questão. Assistam e anotem as explicações!

 

GABARITO: D

 

Continuem treinando com orientações do professor, no modelo da prova objetiva de Direito Interno no CACD! 

 

Colaboração especial neste post:

Sabatina do Barão | Economia – Gabarito comentado #1

Futuras e futuros diplomatas,

Hoje, a nossa sabatina é na disciplina de Economia!

Confiram a questão abaixo sobre Economia Brasileira e respondam quais são os itens corretos e/ou errados.

 

QUESTÃO:

O Plano Cruzado, estabelecido pelo Decreto-lei nº 2.283, de 28 de fevereiro de 1986, consistia em um plano de combate à inflação por meio de um choque heterodoxo. Considerando essa afirmação, julgue (C ou E) os itens a seguir:

I. A política monetária expansionista com taxas de juros reais negativas ajudou a equilibrar o mercado de ativos.

II. O congelamento de preços associado ao excesso de demanda acabou por provocar o desabastecimento de
determinando produtos.

III. As perdas de receitas fiscais pelo congelamento das tarifas públicas não impactaram as contas públicas.

IV. A taxa de câmbio foi fixada aos níveis de 27 de fevereiro e no dia 12 de junho, a taxa de câmbio foi desvalorizada com uma política de minidesvalorizações diárias do Cruzado a partir de então.

 

Comentários da professora

No vídeo abaixo, vocês podem conferir as respostas e os comentários da caríssima professora Vivian Almeida sobre cada item da questão. Assistam e anotem as explicações!

 

GABARITO: ECEC

 

Continuem treinando com orientações da professora, no modelo da prova objetiva de Economia no CACD! 

 

Colaboração especial neste post:

Vivian Almeida – Doutora e mestre em Economia pela Universidade Federal Fluminense (UFF), possui graduação em Ciências Econômicas pela mesma instituição. Atualmente, é Pesquisadora Assistente no Ipea, Professora Adjunta no Ibmec e professora de Economia nos cursos da área de Diplomacia e Carreiras Internacionais do Clio – Damásio.

Sabatina do Barão | Política Internacional – Gabarito comentado #1

Caras e caros aspirantes a diplomata,

Chegou a vez da nossa sabatina de Política Internacional!

Quais são os itens certos e/ou errados na questão abaixo sobre o atual momento da União Europeia❓

QUESTÃO:

Ao longo dos últimos tempos, a Europa tem convivido com desafios importantes relacionados ao processo de integração. Considerando o contexto atual na União Europeia, julgue C ou E as afirmativas:

I. Após longo e penoso processo, o Reino Unido efetivou a sua saída da União Europeia em 31 de janeiro de 2020, observando-se a decisão tomada no referendo realizado em 2016 em que prevaleceu a vontade da maioria dos eleitores britânicos de retirar-se do bloco.

II. Conforme entendimento firmado no início de 2020, o Reino Unido permanecerá vinculado à união aduaneira do bloco europeu, com vistas a reduzir os impactos econômicos de sua retirada da União Europeia. A medida desagradou parte dos parlamentares britânicos que defendiam um rompimento mais radical.

III. Em 2019, a Alemanha beirou a recessão econômica, em parte em função das instabilidades percebidas no comércio internacional e, em contraste com outros países do bloco europeu como Irlanda e Espanha, que revelaram taxas importantes de crescimento econômico.

IV. A questão migratória e de refugiados ainda traz desafios para o bloco europeu, notadamente nas relações com a Turquia, onde estão retidos milhões de refugiados que buscam acessar o velho continente. Periodicamente os turcos ameaçam com liberar a saída de refugiados para a União Europeia, provocando medidas restritivas em países como a Grécia.

 

Comentários do professor

No vídeo abaixo, vocês podem conferir as respostas e os comentários do nosso exímio professor Paulo Velasco sobre cada item da questão. Assistam e anotem as explicações!

 

GABARITO: CECC

 

Continuem treinando com orientações do professor, no modelo da prova objetiva de Política Internacional no CACD! 

 

Sabatina do Barão | Língua Portuguesa – Gabarito comentado #1

Mancebos e moçoilas,

Aqui está o gabarito comentado da nossa primeira sabatina de Língua Portuguesa!

No vídeo abaixo, vocês podem conferir as explicações e comentários da caríssima professora Isabel Vega sobre a questão de interpretação referente ao texto “Cabeludinho”, de Manoel de Barros. Assistam e tomem nota!

 

QUESTÃO:

Texto: Cabeludinho

 

Quando a Vó me recebeu nas férias, ela me apresentou aos amigos: Este é meu neto. Ele foi estudar no Rio e voltou de ateu. Ela disse que eu voltei de ateu. Aquela preposição deslocada me fantasiava de ateu. Como quem dissesse no Carnaval: aquele menino está fantasiado de palhaço. Minha avó entendia de regências verbais. Ela falava de sério. Mas todo-mundo riu. Porque aquela preposição deslocada podia fazer de uma informação um chiste. E fez. E mais: eu acho que buscar a beleza nas palavras é uma solenidade de amor. E pode ser instrumento de rir. De outra feita, no meio da pelada um menino gritou: Disilimina esse, Cabeludinho. Eu não disiliminei ninguém. Mas aquele verbo novo trouxe um perfume de poesia à nossa quadra. Aprendi nessas férias a brincar de palavras mais do que trabalhar com elas. Comecei a não gostar de palavra engavetada. Aquela que não pode mudar de lugar. Aprendi a gostar mais das palavras pelo que elas entoam do que pelo que elas informam. Por depois ouvi um vaqueiro a cantar com saudade: Ai morena, não me escreve / que eu não sei a ler. Aquele a preposto ao verbo ler, ao meu ouvir, ampliava a solidão do vaqueiro.

 

Manoel de Barros. Memórias inventadas: a infância. São Paulo: Planeta, 2003.

 

Considerando o sentido do texto e sua estrutura, julgue (certo ou errado) os itens a seguir.

 

I. Pode-se afirmar que as palavras “Vó” e “Cabeludinho” foram escritas com letras maiúsculas porque exercem, no texto, função de vocativo.

II. A narrativa de memórias foi o gênero textual escolhido pelo autor para abordar o conteúdo gramatical referente ao emprego e ao sentido das preposições.

III. Ao empregar a preposição “de” na frase “Ele foi estudar no Rio e voltou de ateu.”, a avó deixa evidente aos amigos que desautoriza a opção do neto pelo ateísmo.

IV. O autor constrói dois grupos de sentido opostos relativos ao modo como lida com as palavras: um da subjetividade, composto pelo termo “perfume de poesia” e pelos verbos brincar e entoar; outro da objetividade, composto pelo termo “palavra engavetada” e pelos verbos trabalhar e informar.

 

Comentários da professora Isabel:

 

 

GABARITO: ECCC

 

Continuem treinando com orientações da professora, no modelo da prova objetiva de Língua Portuguesa no CACD! 

 

Colaboração especial neste post:

Sabatina do Barão | Direito Internacional – Gabarito comentado #1

Queridos pupilos e queridas pupilas,

Aqui está o gabarito comentado da nossa primeira sabatina de Direito Internacional!

No vídeo a seguir, vocês podem conferir as explicações e comentários do nosso estimado metre Guilherme Bystronski sobre a questão objetiva da disciplina abaixo. Assistam e tomem nota! 🙂

 

QUESTÃO:

A respeito das fontes formais do direito internacional público, que são as consideradas aptas a produzir novas normas internacionais, julgue (certo ou errado) os itens a seguir.

I. O Estatuto da Corte Internacional de Justiça define explicitamente quais são as fontes formais e quais são os meios auxiliares que a CIJ pode empregar nas suas decisões, sendo proscrito a esse tribunal recorrer a outras fontes que não as previstas nesse Estatuto.
II. O costume internacional, formado por práticas reiteradas consideradas como sendo obrigatórias, obriga necessariamente a maioria dos Estados que compõem a sociedade internacional, não sendo admitido que seja regional ou local.
III. A Convenção de Viena sobre o Direito dos Tratados, de 1969, permite enquanto regra a possibilidade de um Estado retirar-se unilateralmente de um tratado mesmo sem previsão expressa em seu texto nesse sentido, mas disciplina que essa retirada somente produzirá efeitos jurídicos 12 meses após ser anunciada.
IV. O jus cogens, formado por normas imperativas que somente podem ser modificadas por novas normas imperativas de DI geral, prevalecerá sobre as disposições da Carta da ONU caso algum dia haja conflito entre elas.

 

Comentários do professor Guilherme Bystronski:

 

 

GABARITO: EEEC

 

Continuem treinando com orientações do professor, no modelo da prova objetiva de Direito Internacional no CACD! 

 

Colaboração especial neste post: